Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

{ Uma questão de sorte. }

Hoje sinto-me triste. Sinto-me triste porque vejo que o meu karma, destino, sorte - o que lhe queiram chamar - não muda. 

Esforço-me, tento procurar maneiras para dar a volta mas verifico que não consigo sair do mesmo sítio. Pelo contrário, cada vez sou mais engolida por um vórtex que me suga sem eu conseguir compreender porquê, o que estou a fazer mal, o que fiz de mal.

Quero mudar tudo, quero que a minha vida seja diferente mas não consigo. O universo não colabora, nunca há nada a meu favor, faça eu o que fizer.

E a tal conversa de que "a mudança está em nós", não é bem assim. Há que ter nem que sejam pequenos bafejos de sorte que nos encoragem e deem força para continuar, para empurrar o barco e nos levem pelo caminho certo.

ora.jpg

 

 

O Meu Novo Nick.

 

(Digam lá que o meu Pimentinha não é fofinho... {#emotions_dlg.drool})

 

Decidi mudar de nick. Não me costumo fartar das coisas mas neste caso fartei-me. Enjoei-me. Cheguei à conclusão que o meu nick antigo já não tem nada a ver comigo. Começou a irritar-me o “-inha”, o facto de não ter um nome mesmo. Comecei a sentir-me “diminuída” com o “-inha”.

 

Resolvi, então, mudar de nick. Após muito pensar e ponderar decidi começar a utilizar o nick Miss Pepper. E porquê este nick? Por variadas razões:

 

- Por ser um nome feminino, embora não tuga;

- Por me sugerir uma pessoa divertida e, de certa forma , amiga de “picar” os outros (no bom sentido, claro) e eu sou um bocado assim;

- É uma homenagem ao meu bichinho lindo chamado Pimentinha (para quem não sabe, pepper é pimenta);

- Porque adoro pimenta rosa. É a minha preferida e que uso nas minhas aventuras culinárias.

 

Por isso, from now on, I’ll be

 

MISS PEPPER

AKA

Pessoinha

 

Pleased to meet you!

{#emotions_dlg.funchal}

E Se De Repente...

 

... me desse um piripaki e ficasse com uma vontadinha

ENORME

grandinha

colorida

farfalhuda

refrescante

veranil

inovadora

atrevida

aguerrida

fabulosa

espantástica

miraculosa

e

luminosa

de...

 

mudar de NICK????
Aceito sugestões...
Embora eu já tenho um substituto..
Vá, toca a coisar nicks aqui para a Pessoinha...

 

Cafeíno-dependente!

 

Nem um barril de café chegaria para saciar as minhas necessidades de cafeína. Hoje estou assim.

 

As mudanças climatéricas provocam alterações no meu organismo também. Parece existir um pacto Pessoinha-clima. Se o tempo muda, o meu organismo é solidário e muda também. Só ainda não percebi qual a vantagem. Até agora só vi as, digamos, desvantagens!

 

Passei uma noite horrorosa. Não precisei de abandonar o quentinho da minha cama – ai tão bom! – para ir espreitar à janela e contemplar o céu não estrelado nem o pavimento molhado.

Quando é que a minha amiga cola em mim tipo pastilha elástica? Quando o pacto começa a funcionar, que é como quem diz, quando o tempo muda.

 

O meu quarto parecia uma mansão assombrada. Só faltaram os morcegos, as teias de aranha e os gatos pretos. Bom, tenho um cão preto, será que vale?

Aposto que quem passasse na rua e me ouvisse a chiar, fugiria a sete pés. A pieira, esta noite, atingiu o seu auge! Estou a pensar seriamente em começar a gravar a minha pieira para vender aos tipos dos filmes de terror com casas assombradas e portas ferrugentas.

E mais! Como se não bastasse a chiadeira de porta ferrugenta – será da minha idade? – e desengonçada, estava com uma dificuldade tremenda em respirar. Ainda pensei que fosse o bóbi que se tivesse sentado em coma do meu peito mas, depois de umas apalpadelas, verifiquei que não, o dog estava a aquecer-me os pés.

Ah, e isto não é nenhuma comemoração antecipada do Halloween!

 

Só restava mesmo enfrentar o frio da noite e ir dar uma bombadela no nariz pois não podia fazer já mais nada. A ver se a chiadeira acabava e eu conseguia dormir descansada. Depois foi a vez do pingo no nariz. Levantar rabiosque da cama novamente, agarrar em lenços de papel e voltar ao local de partida. Ufa!

 

Com isto já era manhã, aquela hora de levantar para ir trabalhar, sabem? Mas eu não me levantei porque (agora roam-se de inveja!) hoje não era dia de aulas..1 Iupiii! Conclusão: fiquei mais um pouco na cama.

 

Mas tudo isto só para partilhar convosco que o meu organismo me está a gritar que precisa de cafeína. Já tomei a dose matinal e a da tarde e estou a ver que tenho de tomar uma dose extra.

 

 

Mudanças

 

 

 

 

Resolvemos mudar as coisas aqui por casa. Atacámos o nosso quarto primeiro. Já há algum tempo que andávamos com vontade de o fazer mas, por outro lado, era óptimo que os móveis se mudassem sem termos que mexer um único dedo. Ainda tentei utilizar os poderes da minha varinha mágica, mas fiquei a saber que ela tinha ido de férias com os meu neurónios… nada feito! Restou-nos dar o corpo ao manifesto.

 

O ideal era termos papel para comprar mobiliário novo mas como as massas estão curtas, limitámo-nos a mudar a disposição das coisas e a decoração. Esta mudança não teve a ver apenas com o sentido estético da coisa mas também com o facto de dar um ar renovado ao quarto e fugir a um autoclismo que pinga, de vez em quando, e cuja origem ainda não descobrimos.

 

Colocámos tudo ao contrário do que estava. E não é que o quarto parece ainda maior? O quarto já não é nada pequeno mas parece que cresceu!

A parte pior é mesmo a das limpezas. Nunca comprem camas com gavetas por baixo!!! É um conselho. A não ser que não queiram fazer mais nada na vida do que andar a limpá-las… Obviamente não se conseguem limpar todos os dias mas sempre que possível, retiramos as gavetas e aspiramos e passamos a mopa e sei lá mais o quê! Mas aquilo é um mundo, um micro-cosmos. Desenvolve-se mesmo que tentemos acabar com a vida-debaixo-da-cama, é quase uma missão impossível! Pozeiras de um raio! Argh!

 

Optei por comprar alguns elementos novos de decoração. Já que ia mudar a posição – porque não podia mudar de mobília – do quarto, decidi trocar as cores e algumas coisas. Não posso obedecer a uma decoração muito temática devido ao estilo da mobília (percebem porque gostava de poder ter outra?) A cor básica (branco cru) não a posso modificar, por isso, acrescentei uma segunda cor: roxo. Adoro esta cor. Já sabem que a minha cor favorita é o azul mas adoro tons roxos também.

 

Comprei uns cortinados de um tecido lindíssimo num tom roxo fabuloso e com alguns brilhos, a lembrar as mil e uma noites. A fazer pendant, trouxe também um almofadão roxo com um finíssimo fio dourado de seda pura. Conjuguei com uma jarra de linhas direitas oferecida pela sogra e uma caixa de um tecido idêntico ao da almofada. Resultado: ficou um estilo minimalista tradicional.

Ficou muito fixe e até parece que dormimos melhor…